Há muitos anos, tenho feito uso de diários como principal ferramenta para organizar minha bagunça criativa. Ela se encaixa perfeitamente na ideia que tenho de que arte e vida, em um determinado processo, são indissociáveis. Tenho dezenas deles guardados. Gosto de pensar o diário como um ateliê bidimensional, bem ao gosto do pintor. São nesses cadernos que nascem, de alguma maneira, todas as minhas pinturas. Na verdade, boa parte dos problemas é resolvida neste campo de batalha, ao ponto de que os desenhos e palavras, ali, já se tornam obras prontas. Talvez, os diários sejam a melhor maneira de documentar uma vida enquanto obra de arte. Neles posso desenhar em qualquer lugar e deixar fluir ou capturar ideias que não têm hora marcada para passar.

 

Neste livro, Diário de um pintor, está um apanhado dos conteúdos desses íntimos diários. Uma curadoria principalmente dos últimos anos, mas que, na verdade, é uma sobreposição de referências e ideias refinadas dos anos mais longínquos. São muitos desenhos e aforismos visuais; várias prosas poéticas que se localizam dentro do mesmo universo utilizado para criar meus desenhos e pinturas – textos escritos como parte do mesmo processo criativo, e que acabam compondo o mesmo corpo de obra. Mas também textos teóricos que olham para esse universo de fora para dentro na tentativa de fundamentá-lo ou entendê-lo. Dicas que gostaria de ter recebido nos meus tempos de estudante de arte; fluxos de pensamentos sobre temas do universo do artista, histórias e, possivelmente, alguns segredos profundos.

 

Mesmo o projeto gráfico foi idealizado de uma maneira que o livro faça referência direta à estética dos diários originais, contendo aproximadamente duzentas páginas, capa dura e lombada com costura aparente. Tudo para que ele carregue a aura do diário, em uma confusão organizada que intercala todos esses elementos intimistas e acolhedores, dando ao leitor uma experiência muito próxima às profundezas essenciais do meu processo criativo.

 

Este livro foi feito através de um projeto de financiamento coletivo e contou com o apoio de 911 pessoas.

Descrição:
Tamanho: 19 x 25 cm
Páginas: 212
Capa dura com laminação fosca e verniz localizado 

Miolo em papel polen bolg 90 g/m²
Lombada com acabamento especial e costura aparente que permite uma abertura de 180° 

 

1ª coleção:
- homem sufocado com a própria delicadeza
- a insustentável leveza do não ser
- homem com naufrágio no peito
- homem espiando o mundo de dentro do seu próprio coração
- homem em sua solidão superpovoada
- homem renascendo do seu próprio coração 

2ª coleção:
- cante para mim
- homem olhando do escuro de si
- homem destruindo para se encontrar
- o peso de estar naquilo que se é
- coração olhando o estrago
- homem pescando os pedaços de si espalhados pela memória

3ª coleção:
- homem olhando no olho de um pensamento
- homem sentado à beira de uma lembrança
- homem face a face com o abismo
- coração de barro
- homem tocado pelo desejo de tocar
- homem cercado de seu próprio vazio 

4ª coleção:
- homem lançado ao mar de seus próprios mistérios
- o tempo é aquilo que me escorre por inteiro
- homem amando até a última gota
- homem flutuando entre os cumes do desespero, apreciando a paisagem
- homem segurando o peso de um silêncio
- homem a bordo de sua própria solidão

 

Essa coleção é uma curadoria do próprio artista. Os trabalhos conversam entre si e funcionam visual e poeticamente no conjunto.

A coleção contém 6 trabalhos em impressão offset.
Papel couché fosco 250 g/m2.
Tamanho 155 mm x 230 mm.

 

Brinde: marcador de página - homem delicadamente empalado pelo amor. 

 

 

Livro - Diário de um Pintor + kit - 24 prints colecionáveis

R$ 250,00 Preço normal
R$ 160,00Preço promocional
    • Preto Ícone Facebook
    • Preto Ícone Instagram
    • Preto Ícone Twitter
    • Preto Ícone YouTube
    • Preto Ícone Blogger